Não vou para os EUA: entenda a história do meu match I

novembro 21, 2017

AEEEEE!! Gente, tudo aconteceu ontem, então eu ainda estou em estado de choque e acho que a ficha ainda não caiu completamente, sabe? Se quiser entender como cheguei até o match, só vem:



Quem estava acompanhando minha saga, sabe que, desde 2011, eu quero ser au pair, mas acabei optando por um intercâmbio de estudo na Noruega em 2014. Fui através da UFBA, minha universidade aqui no Brasil, e estudei Jornalismo e Mídia & Comunicação em HiOA, uma universidade no centro de Oslo, na Noruega.

Apesar dos apertos que passei com a grana curta (já que não tinha bolsa de estudos e sobrevivia com meu salário mirrado de part-time nanny), meu ano não podia ter sido mais maravilhoso e, depois que voltei pro Brasil, sempre tive vontade de ir parar novamente lá nas terras vikings.

Em janeiro desse ano, eu já sabia que meu curso na UFBA se encerraria em maio, então comecei a procurar por uma host family escandinava no site Au Pair World. Meu namorado era inglês, então eu estaria mais perto dele, mas mantendo o foco de voltar pra Oslo. Além disso, não dá pra ser au pair na Inglaterra de forma legal e eu não queria cagar nada com o consulado inglês, porque vai que eu precisasse deles no futuro, né nom? hahahaha

Encontrei uma família sueca muito boa e estávamos próximos a fechar o match quando meu namorado, na época, decidiu me pedir em casamento!! hahaha Pois é! Meio que do nada, ele fez o pedido, eu aceitei e os planos de au pair foram por água abaixo.


Comecei a focar bastante na mudança pra Inglaterra (que aconteceria em dezembro/2017) e na burocracia de um casamento com estrangeiro, então morar na Noruega passou a ser um sonho bem distante, talvez para o futuro, quando eu e meu noivo estivéssemos com a vida melhor estruturada e com vontade de mudar para outro país.

Só que tudo mudou quando o boy decidiu romper nosso relacionamento em agosto desse ano. Eu fui pra lá pra resolvermos as partes mais burocráticas do processo, etc, e acabei entrando com a bunda ele com o pé hahaha Voltei pro Brasil na bad, mas com uma certeza na vida: eu finalmente ia ser au pair.


Olha, eu não sou nem um pouco Alice a respeito do programa. Como falei, já fui nanny no Brasil, já fui nanny na Noruega, já indiquei o programa pra pelo menos 5 amigas (Yukari, Késsia, Tati, Gabi, Lena) e pra minha irmã, que agora cuida de dois meninos em Maryland. Acompanho todas as tretas do Grupão, desde antes de ser esse grupão hahaha Mas nada me dissuadiu da vontade de finalmente fazer esse intercâmbio louco e ir cuidar do filho dos outros por pouco dinheiro! hahaha :P

Pensando que eu estava muito abalada com o fim do noivado, minha irmã me chamou pra ir ser au pair nos EUA, junto com ela. Decidi aceitar a oferta e me empolguei com a ideia de viajar pela terra do tio Sam, comprar brusinhas baratas e eletrônicos mara. Fora isso, o programa de au pair nos EUA não me traria nenhum outro benefício já que eu já sou professora de inglês e a possibilidade de ficar no país pra fazer um mestrado é quase nula porque os valores são absurdos. 

Conversei com minha mãe a respeito de tudo, falei sobre o dinheiro que estava juntando para o casamento e como poderia redirecionar ele para o programa, daí ela começou a dizer que eu estava tomando as decisões com muita pressa e que deveria orar um pouco a respeito.

Fiquei #chatiadissima hahaha porque há anos eu tenho interesse no programa e o término do noivado seria a oportunidade ideal pra finalmente fazer isso. Argumentei que a única mudança nos meus planos antigos tinha sido isso de mudar de ideia e, ao invés de ir para a Noruega, decidir ir para os EUA. Ela nem ligou para os meus argumentos! hahaha

Apesar de ter ficado meio down com a falta de apoio de mamis, resolvi que ia orar a respeito do assunto e foi aí que tudo mudou...

Continua neste post.

Leia também

0 comentários