Como fazer mestrado gratuito na França?

julho 15, 2020

O Mestrado em Alternância é uma modalidade de curso em que uma empresa, ao te contratar, se compromete a também arcar com os custos do seu mestrado na França.

Os ritmos de alternância variam de acordo com o que é proposto pela universidade. No meu caso, por exemplo, a proposta é de 3 dias na escola (segundas, terças e quartas) e dois dias na empresa (quintas e sextas), durante o primeiro e o terceiro semestre. No segundo e no quarto semestre, eu estarei na empresa todos os dias, exceto por 4 manhãs ao mês, quando deverei apresentar seminários na universidade.

Segundo novo decreto de 01 de novembro de 2016¹, esse tipo de mestrado só pode ser feito por pessoas que já tiveram visto válido na França pelo período mínimo de 12 meses e não precisaram voltar ao seu país de origem para solicitar visto de estudante. Ou seja, solicitantes que não são mais considerados como "primo-arrivants".

Para quem ainda está no Brasil e deseja fazer o mestrado em alternância, algumas opções para o primeiro ano de visto são:

1. ESTUDANTE DE FRANCÊS


Para obter o visto de estudante de francês, é preciso comprovar matrícula ou pré-matricula num curso de 20h semanais, pela duração do seu visto. Os valores desses cursos variam, mas é importante saber que, para permanecer na França como estudante, você deverá apresentar um atestado de assiduidade durante o ano em que teve o primeiro visto.

Sendo assim, não é recomendado solicitar o visto de estudante apenas para vir para o país e acabar por não estudar realmente na escola. O risco deste tipo de manobra é de não conseguir a renovação da permissão de estudo.

Um ponto positivo é a possibilidade de estudar por 20h semanais e ainda trabalhar como au pair, garantindo moradia e alimentação, já que o visto de estudante permite até 964h de trabalho anuais.

Possibilidade de trabalhar como au pair; Garantia de obtenção do 2º ano de visto; Maior possibilidade de domínio do idioma.
Alto valor dos cursos de 20h/semana de francês; Necessidade de apresentar atestado de assiduidade no curso de idiomas.


2. AU PAIR


É possível também fazer um ano de au pair e, logo após, aplicar para o visto de estudante, já visando o mestrado em alternância.
Apesar de ser mais barato, esse plano é um pouco mais arriscado porque deixa o seu visto à mercê da desorganização da burocracia francesa.

Por ser muito recente (existe apenas desde março/2019), o visto específico de au pair ainda não é conhecido de todas as prefeituras do país. Há casos, por exemplo, de prefeituras que se recusaram a mudar o visto de "au pair" para visto de "estudante", indicando que a pessoa deveria voltar ao seu país de origem para fazer a solicitação.

No entanto, há também casos de pessoas que fizeram tranquilamente essa mudança após o final do seu primeiro ano com visto específico de au pair.
Não obrigatoriedade do curso de francês; Possibilidade de imersão no idioma a baixo custo; Garantia de moradia e alimentação; Baixo investimento inicial.
Possibilidade de não conseguir trocar para visto de estudante sem ter que sair do país.


3. AU PAIR + ESTUDANTE

Uma outra opção é morar na França com o visto de au pair apenas para aprender o idioma e, logo após, fazer a solicitação de visto de estudante sem a intenção de já entrar em alternância. Nesse caso, se a mudança for recusada e a pessoa tiver que voltar ao seu país de origem, a manobra pode ser feita sem custar a sua permissão de alternância (já que passaria a ser outra vez um primo-arrivant).

3.1. Estudante de Curso Livre

Algumas universidades francesas oferecem cursos livres aos estudantes que desejam se aprofundar na cultura e língua francesa, mas que já têm uma boa base do idioma. O valor desses cursos se aproxima do valor de um curso de francês de 10h semanais², para au pair, numa boa escola como Campus Langue ou l'Etoile (ambas em Paris).

Normalmente o curso funciona 16h na escola e mais 4h em casa, o que permite continuar trabalhando como au pair, mesmo tendo o novo visto de estudante.


3.2. Estudante de L3

É possível fazer o último ano de Licence, dentro da área que você já deseja estudar no mestrado. O nível requerido de francês é um pouco mais baixo que o do M1, mas o ritmo de estudos pode ser mais intenso, o que dificultaria a conciliação com o trabalho de au pair. No entanto, ainda é permitido ao estudante trabalhar por 964h anuais e os valores da L3 são um pouco mais baixos que os valores de um mestrado, por exemplo.

Após esse primeiro ano com visto de estudante, o interessado já pode postular para um mestrado 100% em ritmo de alternância, ou seja: gratuito.

3.3. Estudante do M1

Se o solicitante fizer o M1 (primeiro ano de mestrado) em ritmo regular, usando o seu visto de estudante e trabalhando apenas pelas 964h permitidas, o M2 (segundo ano de mestrado) poderá ser feito em ritmo de alternância sem maiores problemas.

Baixo investimento inicial; Maior tempo para organização pessoal ou desenvolvimento do idioma; Garantia da possibilidade de alternância quando solicitada.
Maior investimento de tempo; Necessidade de conciliar programas de estudo intensos e irregulares com trabalho; Mais difícil permanecer como au pair quando cursando L3 ou M1.


4. AU PAIR + TRABALHO

Apesar de não ser tão difícil como em países como Estados Unidos ou Reino Unido, o visto de trabalho não é a maneira mais fácil de permanecer na França depois do seu tempo como au pair.

Por isso, decidi deixar essa opção por último, mas ainda assim citá-la como uma possibilidade.

Há casos de pessoas que vieram para a França para trabalhar como au pair em regiões mais remotas e acabaram por conseguir um visto de trabalho para continuar no país como babá da própria família.

Sendo assim, a transição de visto se daria de um visto de trabalho para um visto de estudante. Não deve haver maiores problemas nessa transição, desde que o solicitante esteja em situação regular durante o tempo do seu visto anterior.

Baixo investimento inicial; Maior tempo para organização pessoal ou desenvolvimento do idioma; Garantia da possibilidade de alternância quando solicitada; Maior possibilidade de juntar dinheiro.
Maior dificuldade de encontrar essa possibilidade; Necessidade de finalizar o contrato para começar alternância.




¹ « Art. R. 5221-7. - Par dérogation à l'article R. 5221-6, peut conclure un contrat d'apprentissage ou de professionnalisation relevant de la formation professionnelle tout au long de la vie l'étudiant étranger, titulaire du document de séjour visé au 7° de l'article R.5221-3 du présent code, à l'issue d'une première année de séjour. (grifo meu)

« Pour pouvoir exercer une activité salariée dont la durée excède le nombre d'heures prévu à l'article R. 5221-26 du présent code, une autorisation provisoire de travail prévue au 13° de l'article R. 5221-3 lui est délivrée de plein droit lorsqu'il a signé un tel contrat. »

7° La carte de séjour temporaire ou pluriannuelle portant la mention “étudiant”, délivrée en application du 3° de l'article L. 121-1, de l'article L. 313-7 ou des articles L. 313-17 et L. 313-19 du code de l'entrée et du séjour des étrangers et du droit d'asile ainsi que le visa de long séjour valant titre de séjour mentionné au 6° de l'article R. 311-3 du même code.

« Elle permet l'exercice de toute activité professionnelle salariée dans les conditions prévues aux articles R. 5221-26 et R. 5221-27 du code du travail


² Valor do curso livre da Sorbonne em 2019/2020 : 1110€ + CVEC: 91€ (por ano)

Leia também

0 comentários